[#JOSYSTOQUE10ANOS] AS 5 PRIMEIRAS HISTÓRIAS POR TRÁS DOS MEUS LIVROS

09:00


Olá, queridos leitores. Fiz uma série de postagens no mês de outubro em comemoração por meu aniversário de 10 anos de carreira e aproveitei para falar um pouco dos bastidores e das histórias por trás de cada livro escrito e lançado. Se vocês perderam porque não me seguem em nenhuma rede social, aqui vai uma réplica. Espero que gostem. Beijos
Era apenas uma menina com um sonho: se formar e ter independência financeira. Não importavam as dificuldades que teve na infância para aprender a primeira lição de leitura. Logo surgiram versinhos de amor não retribuído, poemas, canções e peças de teatro, muito antes de realmente se tornar uma leitora voraz. Os primeiros romances foram escritos na adolescência, mas quando tirou essa foto, ainda estava muito longe de publicar um livro. Havia parado no meio da quarta história e engavetado porque todo mundo lhe dizia que escrever não dava dinheiro. Errados não estavam. A vida adulta lhe provou isso com o tempo. Mas ela não desistiu e não deixou seu sonho morrer. Ela ainda não sabia disso, mas dali um tempo publicaria seu primeiro livro e seria o dia mais feliz de sua vida, até então. Hoje começa outubro, o mês que marca 10 anos de minha carreira de escritora, conturbada, mas feliz. Vou comemorar a data com vocês ao longo do mês, contando sobre a minha trajetória e promovendo sorteios e promoções de livros, claro. Obrigada por fazerem parte da minha vida. Vocês foram o maior presente que conquistei nessa década cheia de realizações que pareciam impossíveis para a jovem da foto.


Para quem não conseguiria viver disso e dedicou bons anos para a carreira de comunicadora, em 10 anos como escritora profissional, foram 29 livros publicados, sendo 17 sozinha, 8 em parceria com outros autores, 3 coletâneas de contos com escritores diversos e 1 traduzido para o inglês. Fora 8 contos avulsos e 3 boxes de séries. Foi uma produção compulsiva, eu diria. Apesar que, como publicitária e jornalista, fiz um pouco de tudo na área: repórter, diagramadora, assessora de imprensa, redatora, webwriter, atendimento, planejamento, mídias sociais de políticos e empresas. De 2014 a 2018, no auge da crise político-econômica, eu estava em casa, desempregada, mas com tempo para me dedicar exclusivamente ao meu sonho, como autônoma e assinando contratos com várias editoras. Também foi o auge da minha carreira de escritora. Apesar de desacelerar a produção a partir de 2019, ainda não acabou. Só vou parar quando publicar pelo 100 livros em vida. Não podia deixar passar essa data mais do que especial, por isso, quem sabe ainda esse mês não arredondo o número de livros publicados para 30? Gosto de números redondos. Fiquem de olho nas minhas redes, ativem as notificações para não perder nada, e acompanhem minha trajetória que, sem vocês, não seria possível.


Por trás de cada livro existe uma história e são elas que vou contar para vocês ao longo desse mês de comemoração de minha carreira de escritora. Comecei a escrever assim que aprendi as letras e só parei na época da faculdade e em seguida do meu casamento porque não sobrava muito tempo na chata e ocupada vida adulta. Eu não via a hora de ser adulta, mas a realidade se mostrou bem aquém da expectativa. Eu vivia com um vazio constante. Olhava para a minha vida e achava que estava relativamente boa. Eu tinha tanta experiência na minha área profissional, que não ficava desempregada, era boa no que fazia, tanto que quando pedi demissão de um emprego de 3 anos para me mudar de cidade, aconteceu uma revolução na minha vida. Faltava algo. Existia um vazio que nada preenchia. Aproveitei os 6 meses de seguro desemprego na cidade nova, em que não conhecia ninguém, para voltar a velhos hábitos de leitura, que eu também tinha deixado de lado junto com a escrita. Foi aí que, pesquisando sobre a autora de uma série que eu tinha acabado de ler e amado profundamente (tanto que reli mais 4 vezes), decidi que ia voltar a escrever e dessa vez o faria profissionalmente, com o intuito de publicar. Li livros sobre escrita, estudei, pesquisei e me preparei ao máximo para escrever minha obra de estreia no mundo literário, deixando guardado em algum lugar as histórias que me fizeram encantar com o estilo literário dos romances na adolescência. Sempre fui muito criativa e gosto de fugir um pouco da realidade através dos livros. Contar histórias era o que faltava na minha vida monótona. Sou um pouco compulsiva, então, trabalhava no livro umas 12 horas por dia. Incansável. Era aquilo que eu queria fazer pelo resto de meus dias. Eu tive certeza assim que comecei a digitar as primeiras linhas e não parei mais. Minhas irmãs e minhas amigas da cidade onde fui criada foram minhas primeiras leitoras e incentivadoras. E no dia do lançamento eu não conseguia conter o sorriso. Minha família estava em peso lá e meus novos amigos literários, que conheci pela internet e se tornaram inseparáveis até hoje, também estavam lá, me apoiando. Era o que bastava para mim. Meu bebê havia nascido e muitos outros viriam depois.
Curiosidades sobre Marcada a Fogo, o primeiro volume da Saga Os Qu4tro Elementos: comecei a escrever em outubro de 2010, já sabendo que seria uma série, mas só quando estava lá pelo capítulo 19 que defini o título. Revisei o livro mais de 10 vezes antes de entregar para uma editora por demanda e publicá-lo, bancando cada exemplar, em 2011. E juro que ainda tinha erro! (BIZARRO! HAHAHA) Foi o primeiro livro que levei para a Bienal SP 2012 (também foi a primeira vez que fui à uma Bienal rs).


Mesmo sabendo que a série teria quatro livros desde que tive a ideia, preparei o enredo de um livro por vez, conforme terminava. Também criei os títulos de acordo com cada protagonista, alinhado ao seu respectivo elemento. A história da saga Os Qu4tro Elementos, apesar de ser fantasia, sempre foi adulta, com dilemas próprios dessa fase da vida. Misturei vida real com esoterismo, um pouco de zodíaco, astrologia e astronomia, assuntos que pesquisei a fundo e me inspiraram. Marcada a Fogo foi um livro intenso e explosivo, escrito com a força do signo de Sagitário da protagonista feminina. Já Filho da Terra foi mais complexo com a primeira vez que escrevi pelo ponto de vista masculino do signo de Capricórnio, nada impulsivo. Pelo contrário, é um personagem constante e preso a suas raízes. Lancei com a mesma editora do primeiro livro no ano seguinte, 2012, um ano recheado de mudanças das quais falarei no próximo post. Ilha de Ar, o volume 3, também tem protagonista masculino, que é regido por aquário. E no último, Universo de Água, conhecemos a misteriosa protagonista feminina do signo de Peixes que conclui a série. Terminei de escrever inteira em cerca de 1 ano e meio. Dei uma encalhada só no volume 3 por conta do lançamento do 1, ansiedade me definia, mas quando saiu o 2 já tinha finalizado.
Uma curiosidade sobre a série é que arrisquei intercalar dois estilos de narrativa em todos os livros, entre primeira e terceira pessoa. Cancelei o contrato com essa editora em 2013, quando a Amazon chegou ao Brasil, e passei a publicar lá com novas capas, finalizando a publicação da série. Escrevi um conto extra especial de Filho da Terra, chamado Prometida, trazendo um spin-off de uma personagem muito próxima do protagonista, e importante para a saga toda, em 2014, como um presente para os fãs.


Meu quinto livro e o primeiro depois da saga foi a minha primeira parceria profissional. Gisele Galindo é uma autora de uma série de fantasia da mesma editora na época, através da qual nos conhecemos e nos tornamos amigas. Um dia, conversando sobre a carreira, nos deparamos com o mesmo dilema: leitoras pedindo para escrevermos histórias "normais". Em vez de entrarmos em um dilema filosófico do que é normal (risos), acabamos pensando juntas em uma história, assim nasceu Insensatez. A fúria da narrativa nos pegou em cheio e escrevemos um capítulo por dia, e eram capítulos grandes viu. Portanto, em 3 semanas o livro estava concluído. Eu estava tão feliz quando terminei, mas tão exausta, que falei: eba! Conseguimos! Estou tão feliz! Agora preciso dormir! Foram dias intensos em que, na vida real eu vivia uma ruptura, me jogando de vez na ficção. Eu mal dormia ou comia. A casa estava abandonada e meu ex-marido e eu cada vez mais distantes. Escrevemos esse livro no início de 2012, pouco antes de ele me pedir o divórcio e a minha vida virar do avesso. Talvez por isso a primeira versão de Insensatez tenha uma pegada mais sombria. Era o meu espírito na época. E também porque eu teimava em escrever algo diferente e nada clichê. Insensatez também é meu primeiro romance hot. Seguramos o lançamento, fazendo chamadas e deixando os leitores curiosos. Em 2013, publicamos uma degustação no Wattpad, também recente no Brasil. Mas publicamos na íntegra na Amazon e impresso de forma independente na Bienal Rio (foto). A pedidos, acabamos publicando um final alternativo na versão digital em 2014, e em 2017, repaginamos o livro todo, reescrevendo-o para ter uma pegada mais de comédia, mais a ver com nosso momento e outros livros de nossa autoria (tem até participação especial da Pauline nessa nova versão!) e deixamos o livro mais erótico, com nova capa e sinopse. Esse livro nasceu a pedido de leitoras, não podíamos fazer diferente senão atendê-las.

You Might Also Like

0 comentários